Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2009

A pedido. Divulgue também.

publicado por Sérgio de Azevedo às 10:05
link | comentar | favorito

Um de dois caminhos

O "apoio" da Concelhia do CDS-PP à candidatura de Santana Lopes à Câmara Municipal de Lisboa não constitui surpresa. Aliás, esta seria a posição natural se tivéssemos em conta as perspectivas e as projecções eleitorais do CDS para este ano.

 

Difícil de compreender é a estratégia de Portas. Se por um lado Portas sabe que este vai ser o ano da sua prova de fogo, sendo certo que o CDS hoje não vale o mesmo que em 2001, por outro, sabemos nós, que não quer grandes compromissos com nenhum partido, especialmente o PSD, tendo em conta a possível vitória de Sócrates e o papel que desesperadamente, nesse cenário, ele quer que o CDS desempenhe.

 

Como alguém disse há pouco tempo o CDS, com Portas, prepara-se para ser um partido "recibo verde". Estará disponível para prestar um serviço ao partido que mais precise dele. Seja ele o PS ou o PSD.

publicado por Sérgio de Azevedo às 10:05
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

Como era de esperar

A diplomacia "inteligente" a que Hillary Clinton se refere é a diplomacia económica. Hoje percebemos que os EUA assumirão em definitivo a politica diplomática do "toma-lá-dá-cá". E nesse sentido, é natural que o Irão se torne um parceiro estratégico.

 

publicado por Sérgio de Azevedo às 09:50
link | comentar | favorito

Importa-se de repetir?

 “Cautela com os amores. Pensem duas vezes em casar com um muçulmano, pensem muito seriamente, é meter-se num monte de sarilhos que nem Alá sabe onde é que acabam.”
D. José Policarpo - Cardeal Patriarca de Lisboa

 

A intolerante e xenófoba mensagem vem, finalmente, confirmar o afastamento cada vez mais acentuado da igreja católica face aos ensinamentos de Jesus Cristo.

 

É inaceitável que no séc. XXI., num Mundo às avessas onde os conflitos são essencialmente de cariz religioso, que se dê um passo atrás na esperança de uma convivência saudável entre os Homens.

 

O que nos distinguia dos radicais era a capacidade de aceitarmos as diferenças de culto dos outros. O papel da igreja católica esta desvirtuado. A sua mensagem está a radicalizar-se e isso não é bom.

 

 

publicado por Sérgio de Azevedo às 09:44
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 13 de Janeiro de 2009

Se disse, está dito!

«A partir de 2012, quem não tiver televisão digital não tem televisão»

 

Se é assim está bem! Afinal de contas este é o mesmo senhor que disse que a margem sul era um deserto, e num deserto um aeroporto "jamais".

 

Logo, a credibilidade é total...

publicado por Sérgio de Azevedo às 14:45
link | comentar | favorito

Candidata a frase do mês

"É hoje óbvio que tive responsabilidade eleitoral na maioria absoluta do PS"

Manuel Alegre

 

Ai sim? Dos votos que só viria a ter 2 anos depois?

publicado por Sérgio de Azevedo às 10:33
link | comentar | favorito

Alegretes da vida

A partir de ontem, Manuel Alegre passou a ser o militante do PS que usa uma espécie de movimento de cidadãos para chantagear e negociar com o líder do PS um conjunto de lugares para diversos órgãos nas diversas eleições.

 

Manuel Alegre, desde ontem, passou a representar para o PS, exactamente o mesmo que a JS ou outro qualquer organismo inserido na lógica do aparelho socialista.

 

Afinal, isto de criar rupturas e dar passos em frente dá muito trabalho e são coisas para gente de outra idade!

publicado por Sérgio de Azevedo às 10:30
link | comentar | favorito

A estória da carochinha

Se não conhecessemos o PSD, e em particular Alberto João Jardim, até cairíamos na fábula da carochinha que floridamente, ontem, contou a Mário Crespo.

 

Na verdade, não houve nenhum "grupo, grupelho ou grupinho" que impedisse a sua candidatura a líder do PSD. Quem o fez foi o PSD. O PSD no seu todo. A começar por Luís Filipe Menezes.

 

Lembro-me bem do "pára - arranca" discursivo entre AJJ e Santana Lopes no Conselho Nacional do PSD. Numa espécie de "vais tu, ou vou eu?" . Santana avançou, Menezes calou, Alberto engoliu e o partido aplaudiu. 

 

Em bom rigor, AJJ responde bem ao seu delírio dos "grupos, grupelhos e grupinhos" afirmando "Como é que vou assumir responsabilidades se não me querem?".

É verdade Dr. AJJ! A malta não o quer por cá. E aqui entre nós, graças a Deus!

 

publicado por Sérgio de Azevedo às 10:10
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009

Sintonias

O discurso consonante do Governo e das oposições sobre o combate à crise, em deterimento da questão politica que poderá definir o calendário eleitoral, é a prova de que não há outra coisa que lhes saia da cabeça. As eleições claro!

publicado por Sérgio de Azevedo às 09:40
link | comentar | favorito

Mais uma ajuda para o combate à crise.

"Armando Vara foi promovido na Caixa Geral de Depósitos (CGD) um mês e meio depois de ter abandonado os quadros do banco público para assumir a vice-presidência do Banco Comercial Portugal (BCP)." .

Mais uma decisão transparente de uma empresa publica do Estado, contribuindo positivamente para o combate à crise económica na vida familiar deste ex-funcionário.

publicado por Sérgio de Azevedo às 09:37
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009

O anuncio

Depois do anuncio da desistência do candidato a candidato a Secretário Geral do PS, Armando Ramalho, lembrei-me de Tino de Rãs.

 

Tino, era o que era. Dele esperávamos qualquer coisa. Até a inconsciência socialista em desafiar o chefe supremo.

 

De Armando esperávamos coragem. Ainda que associada a uma pesada derrota e ao fim de uma militância de base.

 

Armando desistiu. Não conseguiu reunir as assinaturas, ainda que, aposto, houvesse quem quisesse assinar.

 

Armando é como Tino. Dois incompreendidos do povo socialista.

publicado por Sérgio de Azevedo às 09:43
link | comentar | favorito

A politica (des)cultural

De quando a quando, somos surpreendidos por algumas medidas culturais que até nos levam a acreditar que são de outro mundo.

 

Se é verdade que, por norma, temos este primeiro impacto sempre que sai uma nova, rapidamente caimos por terra quando pensamos, passeamos, ou até consultamos, os roteiros e programas culturais do nosso pais.

 

Não seria uma má medida promover 450 estágios de formação cultural no estrangeiro, se houvesse uma politica nacional e integrada de formação cultural aos milhares de artistas e futuros nas mais diversas àreas.

 

Uma medida deste género, isolada, só prova que a ineficácia e falta de condão para implementar uma politica cultural séria e activa é um problema que assola os sucessivos governos em Portugal apesar das inumeras promessas eleição após eleição. Como, aliás, poderemos constatar lá para o final deste ano de 2009.

 

Se, ainda há bem pouco tempo, o Ministro da Cultura desabafou que não existem verbas para uma politica cultural séria, pergunto então porque, se promovem cursos de formação no estrangeiro? Para não haver colocação dos artistas em Portugal? Para mandar os melhores de nós lá para fora? Não compreendo!

 

Gostava de saber o que pensa o Sr. Ministro sobre a programação do D. Maria? Ou sobre o seu excedente de quadros artisticos, que passam meses (e nalguns casos anos) sem subirem ao palco?

 

Ou ainda sobre a tão esperada criação do roteiro dos museus? Ou sobre as politicas de incentivo aos mais jovens para a sua participação na vida cultural? Ou, já que falamos em politicas, sobre a revisão da Lei do Mecenato, para que se promovam de uma vez por todas vantagens à participação dos privados na vida cultural?

 

Poderia enunciar centenas de aspectos que, na minha opinião, seriam alvo de mudança.

 

Mas, esses aspectos, nunca mudarão, se não mudarem efectivamente as mentalidades dos governantes. A cultura, o seu patrimonio, a sua herança e a sua importância têm uma importancia crucial no desenvolvimento de qualquer sociedade. Sobretudo em Portugal.  

publicado por Sérgio de Azevedo às 09:43
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009

xiiiiuuuu

 

"PS chumba audição do Conselho de redação da LUSA"

 

Talvez seja melhor assim, não vá a VERDADE ficar mesmo a saber-se.

publicado por Sérgio de Azevedo às 16:54
link | comentar | favorito

Os 150.000 (des)empregos

O Banco de Portugal nunca faz previsões para a taxa de desemprego, mas quase não há dúvidas de que esta irá aumentar em 2009. O abrandamento do consumo e a queda das exportações vão colocar muitas empresas em dificuldade, tornando o cenário no mercado de trabalho muito mais complicado. Para o volume de emprego, o banco faz previsões e, claro, as notícias não são positivas. Depois de um crescimento de 0,3 por cento em 2008, queda de 0,5 por cento em 2009 e de 0,1 por cento em 2010. O objectivo de 150 mil empregos na legislatura parece definitivamente posto em causa.
 

E o nosso Primeiro, com o seu belo fato Armani, lá nos vai pedindo a maioria. E nós, provavelmente, ainda a vamos dar!

publicado por Sérgio de Azevedo às 09:32
link | comentar | ver comentários (1) | favorito

3 horas

3 horas é quanto o exército israelita concede à paz. A partir de hoje, entre as 11h00 e as 14h00, não existirão bombardeamentos nem incursões terrestres.

 

Afinal de contas os soldados também almoçam!

publicado por Sérgio de Azevedo às 09:28
link | comentar | favorito

.Autor

.pesquisar

 

.posts recentes

. Temporariamente aqui!

. Ausência II

. Ausência

. A hibernação chegou ao fi...

. Excitações

. Em nome da transparência

. Não resisto a perguntar

. Gripes, baixas, birras, a...

. Constatações

. Sinais

.arquivos

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

.tags

. todas as tags

.links

.subscrever feeds